Apresentação

Licenciatura em Educação do Campo (EduCampo) – Ciências da Natureza e Matemática

A Licenciatura em Educação do Campo existe no país desde 2006. Hoje, são mais de quarenta universidades federais de todo o Brasil que ofertam o curso.

Na Educação do Campo entende-se que os sujeitos que vivem no campo têm direito a uma escola que possibilite, em articulação com as especificidades do Campo, a apropriação dos conhecimentos historicamente produzidos. Ou seja, as pessoas têm, não apenas, o direito a serem educadas no lugar onde vivem – no Campo; como também a uma educação pensada desde esse lugar – do Campo, com a participação de quem nele vive, vinculada à sua cultura e às suas necessidades humanas e sociais.

Nesse caso, a educação inclui a instituição escolar, mas não se restringe a ela.  A escola é vista como prioridade na estratégia de garantir o direito dos povos do campo de ter acesso à Educação Básica.

São considerados como população do campo “os agricultores familiares, os extrativistas, os pescadores artesanais, os ribeirinhos, os assentados e acampados da reforma agrária, os trabalhadores assalariados rurais, os quilombolas, os caiçaras, os povos da floresta, os caboclos e outros que produzam suas condições materiais de existência a partir do trabalho no meio rural” (BRASIL, 2010).

Licenciatura em Educação do Campo (EduCampo) – Ciências da Natureza e Matemática da UFSC

O curso de Licenciatura em Educação do Campo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) foi regulamentado em maio de 2008, sendo constituído no Centro de Ciências da Educação (CED) e integrando às atividades do Instituto de Educação do Campo e Desenvolvimento Territorial Sustentável (Instituto EDUCAMPO). Desde sua origem o curso tem estabelecido parcerias junto às organizações e Movimentos Sociais do Campo do Estado de Santa Catarina.

Atuação do Formado Egresso do Curso: Professor/a em Educação do Campo, na área das Ciências da Natureza (Química, Física, Biologia) e Matemática, com atuação nos Anos Finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio em escolas do campo. Conforme o inciso II do artigo 1 do decreto 7.352/2010, escolas do campo são “aquela situada em área rural, conforme definida pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, ou aquela situada em área urbana, desde que atenda predominantemente a populações do campo” (BRASIL, 2010). Assim a atuação do egresso do curso poderá ocorrer no ensino regular, em escolas integradas ao ensino profissionalizante (agrícola ou similar) em outros espaços educativos como Centros de Formação por Alternância; Casas Familiares Rurais ou Escolas Família Agrícolas.

Em agosto de 2009 foi composta a primeira turma do curso, compondo as duas turmas (2013/1 e 2014/1) já formadas. O reconhecimento oficial do Ministério da Educação e Cultura (MEC) ocorreu em Agosto de 2014, quando recebeu a Comissão de Avaliação Externa do INEP/MEC e obteve nota 4 (de um máximo de 5).

 

Formatura 2014bFormatura 2014

 

A oferta do curso ocorre na modalidade presencial, tem duração de 4 anos (8 semestres), tendo por princípio a Pedagogia da Alternância que compreende articuladamente o Tempo Comunidade (TC) e o Tempo Universidade (TU). No período de TU, os estudantes participam de atividades curriculares na universidade e nos TC eles desenvolvem atividades nas suas comunidades, seja de diagnóstico, de aproximação com a escola, estágios em sala de aula ou projetos comunitários de integração escola/comunidade, conforme a etapa do curso. Busca-se com esse processo educativo uno, articular a experiência de trabalho e de vida do estudante no seio da comunidade/município onde reside com a experiência de formação universitária que está realizando. No primeiro ano do curso, as atividades têm como “eixo integrador”, tanto no TU quanto no TC, a investigação da realidade local. No segundo ano o foco se volta para o estudo da escola do campo. Nos dois últimos anos do curso o TC se constitui em Estágios Supervisionados nas escolas do/no campo para atuação docente na Educação Básica (anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio) na área de Ciências da Natureza (Biologia, Química, Física) e Matemática

A formação de professores para a Educação do Campo busca proporcionar acesso aos conhecimentos da área de Ciências da Natureza e Matemática considerando também o estudo dos elementos que compõem a memória, saberes, valores, costumes, práticas sociais e produtivas dos  sujeitos do campo e da agricultura familiar. Além disso, busca fomentar a análise das características sócio culturais e ambientais do território de vida dos estudantes para que eles compreendam, em sua complexidade, os conflitos e contradições existentes. Esta formação ainda pressupõe o desenvolvimento da capacidade teórico-prática para pensar-organizar-fazer uma escola básica docampo que estabeleça uma formação crítico-criativa, comprometida com os princípios da construção de alternativas de sustentabilidade social dos territórios rurais.

Os estudantes do Curso
Atualmente há três turmas em andamento no curso. Os/as estudantes são oriundos do Planalto Norte (Turma 3); Encostas da Serra Geral (Turma 4) e, Vale do Contestado (Turma 5).

 

Turma 5b

Turma Vale do Contestado (Turma 5)

Turma Santa Rosa

Turma Encostas da Serra Geral (Turma 4)

Turma Canoinhas

Turma Planalto Norte (Turma 3)

 

Desde 2015, protagonizado pelos discentes do curso, também está em atividade o Centro Acadêmico Livre da Educação do Campo (CALE).

ledoc2Slide3

 

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS:

BRASIL, PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Decreto Nº 7.352, de 4 de Novembro de 2010.: Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA. Brasília, DF. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7352.htm>. Acesso em: 28 jul. 2015.

CALDART, R. S.; PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P.; FRIGOTTO, G. (Org.) Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio,
Expressão Popular, 2012. Disponível em: <http://goo.gl/b8phSC>. Acesso em 28 de jul. de 2015.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Educação do Campo. Florianópolis, 2009. Disponível em: <http://licenciatura.educampo.ufsc.br/files/2014/08/PPP-LEdoC.pdf>. Acesso em 28 de jul. de 2015.